Postagens populares

quarta-feira, 9 de março de 2016

TUDO DE BOM...HUMOR SOBRE O CÂNCER DE MAMA!

Primeira mamografia: para “peitudas, “turbinadas” e “despeitadas”
www.google.com.br/images.  Tem mulher que não sente nadica de nada! Uma benção!


Marina da Silva


No final dos anos noventa, balizados em publicações científicas, a primeira mamografia  já estava sendo prescrita, para quem podia pagar e por ginecologistas/mastologistas pioneiros, a partir dos 35-40. Eu fiz a minha primeira mamografia aos 35 anos, obedecendo meu ginecologista/obstetra!
Só que muita coisa veio mudando o perfil do câncer de mama no mundo ocidental [mais dados e pesquisas]: vários fatores estavam contribuindo para o surgimento de câncer de mama em mulheres cada vez mais jovens.  
O PERRENGUE deixou de ser doença de velha e passou a surgir "nas mina", nas novinhas". Eu fui uma delas: os meus médicos me diziam que eu era muito jovem para ter câncer de mama (3.8) e durante o tratamento deparei com moças bem mais jovens, 26,28,32. Aliás, minha memória só registrou, no tratamento do câncer de mama, a doença de velha, idosa, mulheres muito mais jovens que eu ou um pouco mais velhas. 
Não espere tanto para procurar um(a) mastologista ou ginecologista! Busque orientação médica, tire dúvidas de quando se devem fazer os exames: papanicolaou, ultrassonografias, mamografia. E se houver casos de câncer de mama na família, busque antecipar-se à doença! Dois exames são “chatinhos”- mais pelo constrangimento do que por dor: o ultrassom endovaginal e o exame ginecológico para fazer o papanicolaou.
www.google.com.br/images. Olhe a imagem...na lâmpada e imagine minha cara e constrangimento agora, só olhando esta foto de uma aula- treinamento! 
www.google.com.br/images
Na clínica estaremos vestidas, tem um lençol nos cobrindo até aos joelhos, tem a secretária na sala e ainda o acompanhante que pode ser o marido.
E aí homens? Quer trocar o TOQUE RETAL, que salva homens do câncer de próstata, pelo exame papanicolau, que salva mulheres do câncer de colo de útero?


Câncer de Mama em Mulheres Jovens: Análise de 12.689 Casos Breast Cancer in Young Women: Analysis of 12.689 Cases Cáncer de Mama en Mujeres Jóvenes: Análisis de 12.689 Casos
IMPORTANTE: PRESTE ATENÇÃO NA CONCLUSÃO DESTE ARTIGO CIENTÍFICO. INCA!

"CONCLUSÃO Na população pesquisada, a idade mediana foi de 36 anos, a maioria das mulheres possuía ensino médio completo e era proveniente do SUS. O estadiamento IIA foi o mais frequente, a conduta terapêutica mais adotada foi a cirurgia associada à quimioterapia, e a maioria da população pesquisada encontrava-se sem evidência da doença ao final do primeiro tratamento. Mulheres muito jovens (até 34 anos), quando comparadas àquelas entre 35 e 40 anos, apresentaram, ao diagnóstico, maior volume tumoral, maiores prevalências de axila clinicamente positiva e de metástase, conferindo diagnóstico mais avançado, o que pode explicar a pior resposta terapêutica nesse grupo. "http://www1.inca.gov.br/rbc/n_59/v03/pdf/05-artigo-cancer-mama-mulheres-jovens-analise-casos.pdf  Grifos meus.


A MUDANÇA NO PERFIL DA DOENÇA: apesar do câncer de mama atingir mulheres cada vez mais jovens, as pesquisas confirmam, da idade influenciar nas taxas de sobrevivência, da população feminina necessitar ardentemente do SUS... AINDA SE AFIRMA NO BRASIL QUE É INCOMUM, RARO ACONTECER a doença em MULHERES ABAIXO DE 40 ANOS!  A própria LEGISLAÇÃO DA GRATUIDADE DA MAMOGRAFIA PRESCREVE PARA MULHERES ACIMA DE 40 ANOS E O MINISTÉRIO DA SAÚDE/INCA, REGREDINDO A PRÉ-HISTÓRIA DO CÂNCER DE MAMA E AFRONTANDO A LEI , PRIORIZA MAMOGRAFIAS A PARTIR DOS 50 ANOS!

VOLTEMOS À MAMOGRAFIA: pode ser tradicional (chapas de raio-X) ou digital (imagens enviada direto para o computador).
A mamografia é dolorida, pronto, falei; mas suportável e desde que você não esteja na fase pré-menstrual, quando as mamas ficam ultra sensíveis e doem naturalmente! O aparelho embora com todo o seu ar de modernidade, não deixa de  nos aplicar uma “torturazinha”.
www.google.com.br/images. Eu chamo de esmagamamografia. kkkkkk

Penso que para os “peitões” seja mais tranqüilo, tem-se o que “apertar”, mas “peiticos” tipo ovo frito, o meu caso, doem mesmo! Imagine espremer o “nada” até as costelas! Ôooooooooooooorra meu!
O negócio é agüentar firme e rezar para que cheguem até nós, novas tecnologias de CAPTURAR imagens computadorizadas, onde um aparelhinho deslize suavemente sobre as mamas, “escaneando-as” e mandando uma linda imagem ao “vivo, a cores e em 3D, para o mais belo e moderno supercomputador que possa existir! E tenha no SUS TAMBÉM!

Eta sonho bão! E EXISTE! APARELHOS DE ULTRASSOM, RESSONÂNCIA MAGNÉTICA E ATÉ A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA! POBREMA É QUE NEM O SUS NEM OS PLANOS QUEREM PAGAR, SÃO EXAMES CAROS, CARÍSSIMOS!
ENTÃO... o jeito é sobreviver, entre um chilique e outro, e, acredite, acostumar-se aos exames ANUAIS! É como parto “normal”, o primeiro é cheio de mistérios, dor, raiva dos homens, gritos, berros, alguns palavrões. Depois se esquece tudo isso e quando se “assusta” o próximo filho “sai escorregando pernas abaixo”! (Outra mentirinha, he, he, he)

A mamografia também é assim! E como é normal ter medo do desconhecido, vá preparada para um pouco de dor e desconforto. O exame é rápido (se realizado por profissional competente, geralmente são apenas técnicos) usa-se um aparelho de raios-x para radiografar as mamas que são comprimidas entre duas chapas. Pense que é um passo necessário na prevenção, ou seja, para a descoberta de tumores nas fases iniciais.
Vale repetir: não há como “prevenir-se” do câncer de mama com medicamentos, vacinas, chás ou comidas especiais; mas a descoberta da doença em sua fase inicial aumenta e muito as chances de cura!

CONSELHO: nunca deixe de fazer os exames conforme a orientação médica. Eu, até 2007 fazia de seis em seis meses (controle médico), agora faço anual. Raramente não choro na mamografia e acho que mente quem diz que não sente dor nem nada! MAS SEI QUE É IMPORTANTÍSSIMA PARA DETECTAR PRECOCEMENTE TUMORES E FOI ISTO, MAIS O AUTOEXAME MENSAL DAS MAMAS  QUE SALVARAM MINHA VIDA EM 2002! Xau! fui. bjin. Marina da Silva